E agora? Como o nosso “Cara” vai se sair desta?